Total de visualizações de página

sábado, 11 de agosto de 2012

IGUALDADE RACIAL NA EDUCAÇÃO INFANTIL



Objetivo deste material é apoiar os profissionais de Educação Infantil e as Secretarias de Educação a implementar o Art. 7, inciso V, das Diretrizes Curriculares da Educação Infantil, que indica que as propostas pedagógicas dessa etapa deve
m estar comprometidas com o rompimento de relações de dominação etnicorracial. O material compõe-se deste documento e de três vídeos compilados em um DVD, que apresentam experiências desenvolvidas em duas unidades educativas, o Centro de Educação Infantil (CEI) Josefa Júlia da União de Núcleos, Associações e Sociedades de Moradores de Heliópolis e São João Clímaco (UNAS) e a Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Guia Lopes. Teve a colaboração da Secretaria Municipal de Educação da cidade de São Paulo. Essas ações foram realizadas por formadoras com ampla experiência em Educação Infantil e por meio de estudos relativos à questão racial.
A produção deste material teve a colaboração de diferentes instituições: do Ministério da Educação por meio da Secretaria de Educação Básica e Coordenação de Educação Infantil, da Universidade Federal de São Carlos, por meio do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros, do Centro de Estudos das Relações de Trabalho e Desigualdades e do Instituto Avisa Lá – Formação Continuada de Educadores. Constitui rica experiência que compartilhamos, pois acreditamos que por meio de sua leitura e das discussões geradas pelos conteúdos dos vídeos, é possível desenvolver um processo consistente de formação continuada para incluir a dimensão da igualdade racial nas práticas pedagógicas das instituições de Educação Infantil.
Por: Cisele Ortiz (Instituto Avisa Lá)
PORTFÓLIOS VIRTUAIS DA EMEI GUIA LOPES


A equipe da EMEI Guia Lopes, após análise do conteúdo existente na internet sobre as Escolas Municipais de Educação Infantil, decidiu intervir de forma contundente na qualidade das informações que circulam por meio dos sites oficiais e de relacionamento existentes.
Se por um lado, as informações sobre os trabalhos desenvolvidos pelas escolas contidas nos sites oficiais são inexistentes, por outro, nos sites de relacionamento, as informações ficam reduzidas a comentários, muitas vezes poucos éticos, sobre os próprios funcionários públicos.
A primeira forma de combate à banalização do serviço público, foi a retirada de todo o conteúdo do Site de Relacionamento – Orkut – referente a nossa Escola.
Ao fazermos esta análise, percebemos que a construção de uma Comunidade de nossa Escola e a possibilidade de divulgar nosso trabalho através de registros fotográficos, poderia modernizar, desburocratizar e reduzir custos e tempo quando da elaboração e permanente atualização do nosso Projeto Pedagógico. Concluímos que o melhor canal para esta nova empreitada seria a construção de uma página no próprio Orkut, tendo em vista o caráter interativo que nenhum outro site possui e sua estrutura que favorece a inclusão de informações necessárias e obrigatórias ao Projeto.

QUE TAL DAR UMA OLHADINHA EM NOSSOS ÁLBUNS DE FOTOS?


http://www.orkut.com.br/Main#Notifications?uid=4084075958335513375

SEJAM BEM-VINDOS!