Total de visualizações de página

domingo, 12 de setembro de 2010

PROJETO ENTORNO - SALA DE LEITURA

Incentivo à leitura nas escolas ao redor da Editora Abril
Desde 2006 o Projeto Entorno atua nas escolas vizinhas aos prédios do Grupo Abril, nos bairros de Pinheiros, Freguesia do Ó e Butantã, em São Paulo. O projeto tem três fontes de atuação: a formação de professores, coordenadores pedagógicos e diretores, as rodas de leitura promovidas por voluntários capacitados para trabalhar com alunos e a doação de acervo. Em 2009, o número de escolas atendidas dobrou em relação ao ano anterior: 12 receberam a capacitação para gestores.
Os professores são orientados a ler todos os dias para os alunos – de preferência, livros dos quais também gostem, pois as crianças percebem seu envolvimento ao conduzir a atividade. Em seguida, vem o empréstimo de exemplares (para ler em casa) e a organização de atividades que estimulem a formação de opiniões sobre as obras. Assim se constrói o hábito de leitura com prazer.
Em seu terceiro ano de existência, o projeto contou com a participação voluntária de 55 funcionários da Editora Abril e da Fundação Victor Civita, que visitaram mensalmente as escolas participantes para comandar as rodas de leitura. O trabalho desenvolvido foi reconhecido com uma grande exposição de fotos no Novo Edifício Abril e com a produção de um documentário que explica as ações e estimula sua replicação.
Em 2008, o Projeto Entorno também recebeu menção honrosa no Prêmio Vivaleitura, iniciativa do Ministério da Educação, do Ministério da Cultura e da Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Em 2010, a formação de gestores foi descentralizada para as equipes de orientação técnica de cada Diretoria Regional de Educação. É neste momento que a nossa escola entra no cenário. Do projeto inicial, houve algumas alterações. Hoje não contamos com doações de livros e voluntários da Editora Abril, permitindo-nos, desta forma, apropriarmo-nos das idéias fundamentais do projeto, adequando-as à nossa realidade e conseqüentemente, enriquecendo nosso trabalho.

O Projeto Entorno consiste na aplicação de dinâmicas que visam incorporar o hábito e gosto pela leitura na rotina escolar.Inicialmente, quando o projeto era desenvolvido pela equipe da Editora Abril, esta optou por uma seqüência nas vivências de leitura, hoje, porém, a forma de desenvolver o projeto varia de escola para escola.
Obviamente, a formação que temos recebido da equipe de DOT da Diretoria da Freguesia / Brasilândia tem sido fundamental para subsidiar nossas práticas.

OS PRIMERIOS PASSOS....
Leitura Compartilhada – Consiste na distribuição do mesmo livro para todas as crianças do grupo/classe que realizam a leitura, acompanhando o ritmo da Professora.
O primeiro desafio: Como vamos conseguir 36 livros iguais para realizar a leitura compartilhada?
Nesta busca, descobrimos que não há livro que possa ser descartado por mais críticas que recebam quando de sua análise. Tínhamos guardado umas coleções de livros que geralmente são distribuídos quando realizamos Feiras do Livro em nossa escola. Isto mesmo, aqueles resumos, que omitem detalhes importantíssimos da história original e que, muitas vezes as ilustrações nada tem a ver com o texto escrito.
Portanto, depois de receberem várias e inúmeras considerações desfavoráveis ao seu uso, eram os únicos que nos restavam. Em uma de nossas discussões, levantamos quais seriam os nossos objetivos co a leitura compartilhada destes exemplares. Pontuamos que nossas crianças, como todas, ao manusearem um livro, demonstravam uma curiosidade insaciável de percorrer todas as páginas até chegarem ao final, sem dedicar nenhum segundo aos detalhes da ilustração ou formatação dos textos. Descrevemos este comportamento como sinal de ansiedade e descobrimos que nós, adultos, sofremos do mesmo mal. Quantas vezes lemos o início de um livro ou reportagem e “pulamos” pedaços do texto para chegar ao final? Se a leitura, inicialmente, é um ato de imitação, precisávamos rever nossas posturas, sim! Definimos que nosso objetivo durante as leituras compartilhadas seria o de reforçar alguns comportamentos leitores como ritmo e postura e que os únicos livros disponíveis, poderiam ser muito úteis, e foram! As histórias eram de domínio das crianças por tratarem-se de clássicos da literatura, e a missão de detalhes poderia ser utilizada a nosso favor nos momentos de participação e interferências.
Agregando novos conhecimentos à dinâmica, construímos um roteiro composto por algumas atividades que deveriam anteceder e preceder à leitura. Conhecimentos adquiridos através de estudos realizados em horário de trabalho (JEIF) com as formadores Edi Fonseca ( Contação de histórias) e Heloisa Ramos ( O Professor como Leitor). Decidimos que era fundamental criarmos um ritual de leitura. A formação da roda com uma cantiga, a arrumação do “tapete” definindo o espaço, e o encerramento com parlendas (rápidas e curtas).
Tudo organizado, partimos para ação e descobrimos alguns detalhes que depois e incorporados, fizeram a diferença.
Gravamos várias leituras compartilhadas e assistimos criticamente as dinâmicas.
Descobrimos a importância de alguns detalhes que seguem:
- Se o professor é a referência do aluno, faz toda a diferença ele estar manuseando seu livro no mesmo plano que as crianças. A segurança de olhar para o livro do professor e se “achar” na história, é fundamental;
- A curiosidade em folhear todas as páginas até a última ainda mereceria uma atenção especial. Uma de nossas professoras teve a brilhante idéia de, associar, inicialmente, um som ao momento de virar cada página do livro. Utilizou um chocalho feito de latinha e o sucesso foi absoluto. A leitura ganhou ritmo, concentração e harmonia;
- O tapete, que parecia um detalhe, foi essencial para conferir ao momento o “aconchego”, o conforto que uma boa leitura nos traz.. Percebemos que sentar-se em cima do mesmo tapete, envolveu todos os participantes e definiu a importÂncia de cada um dentro do grupo.
Percebemos, através das filmagens, que os professores que deixavam os livros permanentemente nas mãos das crianças durante a leitura, não obtinham o mesmo resultado daqueles que combinaram deixá-los em cima do tapete.
Há relatos de professores que pontuam o grande interesse das crianças perguntando, insistentemente, todos os dias, se é dia de leitura. Outras nos contam que o cuidado ao folhear outros tipos de material impresso demonstram o sucesso da dinâmica.

A organização das sessões mereceu atenção especial de nossa Coordenadora Pedagógica. Isabel . Nossa escola funciona em dois turnos e foi necessária uma distribuição precisa das leituras para inserir as duas professoras que permanecem com o mesmo grupo de crianças no projeto entorno. Definiu-se que, por uma questão de observância à linha de tempo de cada turno ( 1º turno, intermediário e 2 º turno), as professoras que permanecem 4 horas com o grupo fariam as leituras compartilhadas e as professoras do intermediário, a contação de histórias com a utilização de formas diferenciadas, incorporadas pela formação em JEIF ( caixa de história, aventais de história, mala de histórias, entre outros).
Um dos efeitos “colaterias” mais desejados, aconteceu. As crianças da Professora Claudia Rosa começaram a trazer livros de casa e assim nasceu o que denominamos “O Dono Da História”. A criança escolhe o local da escola em que deseja ler a história para o seus colegas e dá um show!!!!!! Hoje todas as crianças estão contaminadas por uma vontade incrível de contar e ler histórias.
Impressionante perceber que as crianças incorporaram, em detalhes, alguns comportamentos leitores que alguns adultos insistem em desconsiderar.

Nenhum comentário: